Info Comerciário 193/2019

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Biloti participa de Congresso sobre Direito do Trabalho

O presidente Biloti está participando do congresso.

O diretor de Assuntos Trabalhistas e Jurídicos da Fecomerciários e presidente do Sincomerciários, Arnaldo Azevedo Biloti, representou a Federação no 16º Congresso Nacional de Direito do Trabalho e Processual do Trabalho. O evento organizado pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 15ª Região aconteceu nos dias 9 e 10 de junho, no Auditório do Theatro Municipal de Paulínia, interior de São Paulo. Foram discutidas questões fundamentais do direito do trabalho e processual do trabalho.

Mais de mil pessoas participaram do congresso, prestigiado por autoridades jurídicas como ministros, desembargadores, juízes, além de advogados, professores, servidores e estudantes de Direito. Durante os dois dias de evento, mais de dez palestrantes apresentaram temas relacionados ao direito do trabalho. Ao final do encontro a plenária aprovou por unanimidade o manifesto contra os ataques ao Judiciário Trabalhista.

Em pauta o trabalho em concessionárias dia 12 de junho


Foi realizada na sede do Sindicato assembleia com as concessionárias Caoa e Comeri (Santos), coordenada pelo presidente Biloti e diretora Monalise, na qual dos trabalhadores decidiram sobre o trabalho no 12 de junho.

Centrais querem imposto para bancar Previdência


Fonte: Fecomerciários com informações do Agora São Paulo
Quatro Centrais Sindicais irão propor ao governo interino de Michel Temer a criação de um imposto para custear as aposentadorias.

A implantação do tributo é uma das dez propostas enviadas por UGT, Força Sindical, CSB e Nova Central ao Planalto, que deverão ser debatidas em reunião na sexta. Confira as propostas ao lado.

A ideia de um imposto que custeie a Previdência foi apresentada por Dilma Rousseff no ano passado e criticada pelos sindicatos de trabalhadores, que se mostraram contrários. A proposta do governo, de recriar a CPMF de forma temporária, foi enviada ao Congresso. O projeto prevê a cobrança do tributo até 2019. Falta só a aprovação dos parlamentares.

A UGT começou a defender oficialmente, em maio, uma CPMF progressiva para salvar a Previdência. “A UGT é contra qualquer tipo de imposto que venha a estrangular o poder aquisitivo da população. Mas diante da crise econômica atual, não há outro jeito”, informa nota da Central.

 

Mulher, sua palavra é prova!

Fonte: Conselho Nacional de Justiça - CNJ

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...